Mondial de la Bière 2013, no Rio de Janeiro (RJ)

O Mondial de la Bière é um festival de cervejas internacionais cuja 1ª edição aconteceu em 1994 em Montreal, no Canadá. Atualmente o festival acontece também em Mulhouse, na França e aqui no Brasil, no Rio de Janeiro, do dia 14 a 17/11, ele aconteceu pela 1ª vez. O evento aconteceu na Praça Onze, no centro da cidade, e pelo que pude perceber o acesso estava tranquilo, sem muita dificuldade para chegar lá, principalmente para os visitantes de fora do Rio.

Mondial de la Bière

Como não fui aos outros festivais em Mulhouse e em Montreal, eu não posso fazer comparações, mas posso dizer que a edição do Rio de Janeiro deu um toque bem brasileiro ao festival, já que a maior parte dos expositores estava comercializando cervejas brasileiras. E como a proposta do festival é ser um festival de cervejas internacionais, havia alguns expositores comercializando cervejas importadas, como foi o caso da importadora Bier & Wien e também do Petit Pub, que inclusive estava servindo cervejas importadas na pressão, além do Beer Boutique, uma loja de cervejas importadas, montada dentro da tenda do festival.

Aconteceram alguns workshops interessantes para quem procurava se aprofundar um pouco no universo cervejeiro e também para os que nunca tiveram muito contato.

Um ponto negativo do festival foi o calor extremo, dentro da tenda do festival, no sábado (16/11), onde os ventiladores, apenas, não conseguiram amenizar a elevada temperatura. O Rio de Janeiro é quente sim, claro, e todos nós sabemos disso, porém é certo que existem várias maneiras de evitar que um ambiente como aquele fique tão quente.

Infelizmente conseguir comer sem ter que esperar muito tempo na fila foi um artigo de luxo, já que as filas estavam enormes e simplesmente não andavam, a não ser no início da festa ou no final, quando não havia muita gente na fila. Mas uma coisa eu não nego, a comida estava de primeira, em todas os estandes de comida, o que fazia valer a pena esperar em pé na fila.

Festival Mondial de la Bière

Exceto por esses dois pontos e aqui eu arrisco minha opinião ao dizer isso, quem esteve presente no Mondial de la Bière se divertiu bastante e teve a oportunidade de conferir alguns lançamentos de cervejas como a Titãs, uma cerveja fabricada pela Colorado em homenagem aos 30 anos da banda, a Casanova, produzida pela cervejaria Burgman e a Wäls Niobium, uma Imperial IPA que tem 92,9 IBU, número equivalente à massa atômica do Nióbio. Não vou me atrever a falar de massa atômica e tabela periódica, mas para os que não são tão habituados com os termos técnicos ligados à cerveja, IBU (International Bitterness Units) é a medida de amargor de uma cerveja, sendo que, para efeitos de comparação, uma Heineken possui algo em torno de 17 IBU. Bem amarga essa Nióbium, não?

Colorado Titãs

Junto ao festival, aconteceu o MBeer Contest, um concurso cervejeiro do Mondial de la Bière, o qual premiou 15 rótulos na edição carioca.

São elas:

Medalha de Platina:

  • Um empate técnico entre a Petroleum da Wäls, Belo Horizonte (MG) e a Ithaca Oak Aged da Colorado, Ribeirão Preto (SP).

Medalhas de Ouro:

  • Cervejaria Colorado: Colorado Ithaca, Ribeirão Preto (SP)
  • Cervejaria Coruja: Labareda, Porto Alegre (RG)
  • Cervejaria Dortmund Ltda.: Nostradamus, Amparo (SP)
  • Cervejaria Invicta: Invicta Imperial India Pale Ale, Ribeirão Preto (SP)
  • Cervejaria Noi: Noi Nera, Niterói (RJ)
  • Cervejaria Bodebrown: Bodebrown Black Rye IPA, Curitiba (PR)
  • Cervejaria Bodebrown: Bodebrown Hop-Weiss, Curitiba (PR)
  • Cervejaria Bodebrown: Tripel Montfort, Curitiba (PR)
  • Wäls Cervejas Especiais: Stadt Jever, Belo Horizonte (MG)
  • Wäls Cervejas Especiais: Wäls Quadruppel, Belo Horizonte (MG)
  • Wäls Cervejas Especiais: Wäls Trippel, Belo Horizonte (MG)
  • Wäls Cervejas Especiais: Wäls Witte, Belo Horizonte (MG)
  • Cervejaria Bodebrown / Stone Brewing Co.: Cacau IPA , Colaboração Brasil e EUA

Para minha surpresa, encontrei por lá alguns amigos de Viçosa (MG), minha cidade natal e um deles, o Alysson Soares estava lá com a missão de tirar uma foto com a camiseta do bar onde ele trabalha, o Bar Leão, que talvez seja o bar mais famoso de Viçosa e que ainda terá um post aqui no Destino Cervejeiro.

Cervejaria Província

Alysson Soares, Samuel Pelisser, eu e a camiseta do Bar Leão no estande da cervejaria Província.

Encontrei também por lá o Márcio Beck, do blog A Volta ao Mundo em 700 Cervejas, com quem tomei algumas cervejas e conversei bastante sobre outras tantas coisas desse universo. Valeu Márcio, te espero em Belo Horizonte um dia desses!

E por falar em bons momentos, o meu reencontro com o Samuel Pelisser e a Bel Cestari, da cervejaria Província, lá de Santa Maria (RG), foi sensacional. Os conheci no Festival Brasileiro da Cerveja 2013, em Blumenau e como naquele festival, suas cervejas estavam um show à parte. Nossa “prosa” não durou apenas o horário da festa, já que no primeiro dia nós seguimos pra Lapa e por lá tomamos alguns chopes e no último dia nós nos reunimos lá mesmo no pátio do evento, no estande da Província, ao redor de um balde de gelo com muita cerveja dentro. Se juntaram a nós o pessoal da cervejaria Insana, a qual levou o segundo lugar no júri popular com a cerveja Gold e também o Samuel Cavalcanti, da premiada cervejaria Bodebrown, que passou rapidamente por lá , arriscou umas notas em um violão com uma corda a menos e então seguiu seu rumo. No fim, fomos os últimos a sair do evento, como um bom boêmio fechando um bar e cada um então seguiu seu rumo, decretando assim, oficialmente, o fechar das portas do Mondial de la Bière 2013 no Rio de Janeiro.

< voltar

Leia outras notícias relacionadas

  • Atitude Artesanal, Cerveja e Rock'n Roll
    Clube Chalezinho e Price ...
  • Faro Lambic
    Mondial de la Bière 2013...
  • Backwoods Bastards da Founders
    Founders: visita obrigat...
  • cervejas-engarrafadas.JPG
    Visita à fábrica da cer...

Empório da Cerveja

BBC