Petrópolis, A Cerveja Bohemia e a História da Cerveja no Brasil

Assim como a Irlanda e a Guinness, a cidade de Petrópolis, no estado do Rio de Janeiro, está muito ligada à cerveja Bohemia, em suas coincidências diretas e as casualidades relacionadas à história do Brasil Império.

Fazendo uma pausa no tema principal desse post e indo até à Europa, no ano de 1842 estava sendo criada a primeira cerveja clara e de baixa fermentação do mundo, a famosa Pilsner Urquel, isso na cidade de Pilsen (Plzen), região da Provincia da Boemia na atual República Tcheca. Existem algumas coincidências em relação aos nomes, mas foram esses nomes que batizaram o estilo Pilsen e a nossa cerveja Bohemia, além de tantas outras Bohemias espalhadas pelo mundo.

Voltando a Petrópolis, em 1843 foi assinado por Dom Pedro II o decreto que determinaria a criação de um assentamento para o povoamento da cidade (que ainda era constituida por apenas poucas fazendas) bem como o seu planejamento. A cidade foi povoada por muitos imigrantes alemães e italianos, sendo que as tradições cervejeiras alemãs não puderam se manter naquela época devido à falta de insumos para a produção de cerveja.

De forma geral, os alemães que vieram para o Brasil acabaram por criar as primeiras cervejarias artesanais, produzindo cerveja a partir do milho. Mas a produção era pequena e não atendia uma escala comercial.

Em 1853, 11 anos depois da criação da primeira cerveja de baixa fermentação do mundo e levando-se em conta as dificuldades de comunicação pertinentes à época, Henrique Kremer fundou a cervejaria que hoje é conhecida como Bohemia, com uma produção local que conseguia atender Petrópolis e a cidade do Rio de Janeiro, mesmo enfrentando dificuldades na aquisição da matéria prima e toda a escassez tecnológica para a produção de instrumentos em território brasileiro, além da falta de mão de obra especializada.

A cerveja era produzida com características das cervejas alemãs, mais escura, encorpada e amarga, porém com o tempo ela foi se adequando ao gosto do brasileiro e consolidou o sabor e aroma que conhecemos hoje.

Para relatar toda a sua história e ainda contar um pouco do processo de fabrição de suas cervejas, foi criado um museu da Bohemia, onde é o prédio da fábrica da cerveja em Petrópolis, no qual os visitantes, ao entrarem, são cadastrados através de uma pulseira para que eles possam interagir com diversos paineis ao longo de sua visitação. Podem ser tiradas fotos, criados cartões postais e até mesmo brasões para suas “tabernas”, tudo podendo ser enviado para as contas pessoais de e-mail e facebook (registradas na entrada).

Museu da Bohemia

Entrada do Museu.

No museu é contada a história da cerveja no mundo, desde os sumérios até a história da cerveja no Brasil, sem negligenciar a história das outras cervejarias brasileiras, tanto as que não existem mais, quanto as grandes marcas presentes no mercado até hoje.

Museu da Cerveja

O corredor linha do tempo da história da cerveja.

A visitação não é totalmente guiada mas em cada canto do museu existe um guia pronto para tirar as suas dúvidas, sendo que nos estágios finais do tour, os visitantes são levados para conhecer o processo de fabricação da cerveja, degustando um chopp da Bohemia que é exclusividade do museu e também do bar anexo ao museu, além de serem levados para uma outra sala onde é degustada a Bohemia confraria, uma cerveja do tipo Abadia produzida na fábrica do museu, feita de malte de cevada e de aveia. O interessante dessa degustação é que a pessoa responsável por conduzi-la explica de forma rápida alguns passos importantes para se degustar uma cerveja, incluindo o porquê do uso de copos adequados para cada estilo de cerveja. Claro que não é nada muito complexo, mas já é um primeiro passo para quem possa não conhecer sobre o processo. Existem explicações sobre as 3 famílias de cerveja (Ale, Lager e Lambic) e seus inúmeros estilos, com divisões em países e suas mais famosas cervejas. Uma verdadeira aula para quem está começando a se aventurar no universo cervejeiro.

Cerveja Bohemia

Na degustação do chopp da Bohemia.

Bar do museu

O “bar” onde é degustada a Bohemia Confraria.

Existe um corredor no museu composto por vários engradados de madeira, assim como eles eram feitos nos primórdios da cervejaria. Entre eles existem alguns engradados, num total de 80, com nomes de cidades brasileiras. Segundo o guia, são homenagens a tais cidades, mas ele não disse o motivo. Curiosamente a minha cidade natal, Viçosa-MG, foi homenageada com um desses engradados.

As homenagens

As homenagens.

De qualquer forma, não deixe de visitar o Bar da Praça, localizado na Praça da Liberdade, onde são encontrados alguns chopes ou long necks de cervejas produzidas na região, além de todas as cervejas da Bohemia, claro. O cardápio também é variado, com boas possibilidades para harmonização. Já na cidade de Petrópolis vale a pena conhecer alguns restaurantes e bares de gastronomia especializada, mas é no distrito de Itaipava que o circuito gastronômico realmente acontece.

Praça da Liberdade.

O coreto da Praça da Liberdade.

Para aqueles que pretendem fazer um turismo histórico, a cidade conta com várias atrações como o Museu Imperial, a Catedral de São Pedro, o Museu da Armas, o Museu de Cera e a Casa de Santos Dumont. A região também tem muitos atrativos naturais como as montanhas que a cercam, cachoeiras e trilhas no meio das matas.Não deixe de ir também ao bar da Bohemia, que fica exatamente ao lado do museu da cervejaria. O cardápio é totalmente adequado às cervejas servidas por lá, além de ser um ambiente a céu aberto, muito apropriado para os dias quentes, mas contando com aquecedores para os dias mais frios.

Petrópolis

Iluminação de natal.

Maria Comprida

“Pedra da Maria Comprida” em meio às montanhas da região.

É claro que depois de toda essa andança, uma boa cerveja é uma recompensa mais do que merecida já que estar na cidade que recebeu a primeira cervejaria industrial do Brasil sem que seja tomado ao menos um copo de cerveja é algo imperdoável, pelo menos para aqueles gostam da bebida.

Um brinde a Petrópolis e que a história da nossa cerveja seja sempre tão ousada como foi a da Bohemia.

Cerveja Bohemia Confraria

Um brinde…

CERVEJARIA BOHEMIA E MEMORIAL DA CERVEJA
Endereço: Rua Alfredo Pachá 166, Centro
Reservas: cervejaria@bohemia.com.br
Dúvidas: comercial.bohemia@playcorp.com.br

Horário de Funcionamento*

  • De quarta a sexta das 11 às 18 horas (Última entrada para visitação e encerramento da bilheteria às 16 horas).
  • Finais de semana das 11 às 20 horas (Última entrada para visitação e encerramento da bilheteria às 18 horas).

*Confirme os horários antes de fazer a visita. É comum que eles se alterem devido a vários fatores.

 

Duração da Visita

A visita é guiada e dura aproximadamente 2h30m.

 

Valor do Ingresso

  • Inteira: R$ 19,50.
  • Meia entrada: R$ 9,50 (válida para estudantes e maiores de 60 anos).
  • Ingresso exclusivo para moradores de Petrópolis: R$ 9,50 (individual e com apresentação de comprovante de residência).
  • Menores de 18 anos: Sem cobrança.

 

< voltar

Leia outras notícias relacionadas

  • Bierland
    Cervejaria Bierland: um p...
  • chopes-artesanais
    Chopes artesanais viram e...
  • Ouro Preto
    Cervejas especiais e arte...
  • Irmã Doris. Freira cervejeira da Alemanha.
    Conheça a Irmã Doris, a...
  • http://www.blogger.com/profile/10282762389176229818 Doña Nieves

    “estou aqui hoje para desearte un feliz navidad para vos y tu familia que Dios los bendiga”

  • http://www.blogger.com/profile/02848476251689261970 Rose Mayworm

    Olha vale a pena visitar o museu Bohemia se tiver uma chance não perca….

    • http://www.blogger.com/profile/03189301942271218843 Johnnie Lustoza

      Vale muito a pena sim, Rose. Existem muitos detalhes que só mesmo a visita é capaz de mostrar. Obrigado.

Price Beer

BBC