Site lista 10 cervejas ideais para o Réveillon

cervejas-especiais-para-o-reveillon

Já está pronto para a chegada do novo ano? Se ainda falta a cerveja, nós iremos te ajudar!

O site Trip Beer fez uma seleção especial de 10 cervejas indicadas para a noite de Réveillon. Parte das cervejas que constam na lista são produzidas pelo método Champenoise, ou seja, são bebidas que após fermentação e maturação tradicional passam por uma segunda fermentação na garrafa, descansando em caves (basicamente porões) por alguns meses.

O método aumenta a liberação do gás carbônico, produzindo naturalmente mais carbonatação e deixando as cervejas com “cara de champanhe”.

Confira a lista:

DeuS Brut des Flandres: Cerveja belga produzida pela Bosteels, a DeuS Brut des Flandres possui produção limitada de 15 mil garrafas por ano. A bebida passa por um longo processo de fermentação. Na primeira etapa, na Bélgica, são usados apenas puro malte e água. Em seguida, o líquido segue para a cidade de Reims, região de Champagne (França), onde é colocada em garrafas de champanhe e passa pelo mesmo processo do vinho local, ou seja, fica repousando nas caves, para a segunda fermentação.

A DeuS possui aroma extremamente complexo, que envolve fragrâncias de maçãs frescas, hortelã, tomilho, gengibre, malte, peras, lúpulo, pimenta-da-jamaica e cravo-da-índia. Seu sabor também é complexo, mas refrescante e delicado, não deixando transparecer sua graduação alcoólica elevada.

Malheur Brut Reserve: A Malheur é produzida pelo método de champenoise. Refinada e elegante, tem origem na Malheur 10°. Seu aroma é frutado, com presença marcante de leveduras. No paladar, há uma explosão de sabor. Forte, com alto teor alcoólico, porém com delicada acidez e doçura. Premiada, recebeu a medalha de ouro na Eureka Brussel, em 2001, e a de prata na World Beer Cup, em 2008.

Malheur Dark Brut: Cerveja sazonal, a Malheur Dark Brut também é produzida pelo método champenoise, porém, tem origem na Malheur 12° e, antes de ir à França, é maturada em jovens barricas de carvalho, especialmente queimadas para esta cerveja. Nessa maturação ganha características de secura e tanino, mas está bem equilibrada com a doçura. Sua tonalidade é escura e o aroma é complexo lembrando baunilha, madeira, caramelo e café.

Malheur Cuvèe Royale: Mais uma cerveja produzida pelo método champenoise e sazonal, a Malheur Cuvèe Royale apresenta uma cor dourada nebuloso. Possui aroma de especiarias, frutas cítricas, algumas notas de toffee, malte caramelo e algumas leveduras.

Eisenbahn Lust: A Lust se destaca por ser a primeira cerveja produzida pelo método champenoise no Brasil. Depois da fermentação e maturação normal dentro da cervejaria, o líquido é enviado para uma vinícola, onde fica por três meses e passa pelo processo de produção de champanhes. Possui aroma frutado e paladar refrescante. Apresenta perlage fino e numeroso com espuma cremosa.

Eisenbahn Lust Prestige: Também produzida pelo método champenoise, a bebida sofisticada é bem refrescante com paladar seco e aromas amanteigado, de brioche e tabaco. Depois da maturação no barril pelo método convencional, a cerveja segue para uma vinícola, onde passa por uma segunda fermentação dentro da garrafa. Em seguida, a Eisenbahn Lust Prestige entra na etapa chamada Cuvèe, que no seu caso dura um ano.

Wäls Brut: Segunda cerveja brasileira a ser produzida pelo champenoise, chegou ao mercado em 2011. A cerveja, produzida em Belo Horizonte (MG), é inspirada na DeuS Brut des Flandres. A receita tem como base outra cerveja da cervejaria Wäls, a Wäls Tripel, também de inspiração belga e com notas cítricas destacadas. A bebida recebeu levedura de champanhe e um terceiro processo de fermentação, que elevou o teor alcoólico a 11%. Dourado-escura e translúcida, tem espuma branca, com média formação. Deve ser servida em taças do tipo flûte. No aroma, sente-se a ação da levedura de champanhe, além de notas de malte adocicadas e de delicada lupulagem. Os mesmos elementos se repetem na boca, com final seco moderado e residual adocicado.

Double Vienna Brut: Lançada no final de 2014 pela Morada Cia Etília, a Double Vienna Brut é baseada na Vienna Lager. A bebida ficou maturando 18 meses no método champenoise. A cerveja possui 11,5% de teor alcoólico e 36 IBU (Unidade de Amargor).

Dubuisson Bush Prestige: Cerveja belga, segue a linha das demais cervejas da lista, porém envelhecida em barris de carvalho por seis meses. A bebida possui cor clara e exala aromas sutis de vinho.

Samuel Adams / Weihenstephaner Inifnium: A cerveja colaborativa da norte-americana Samuel Adams e da alemã Weihenstephaner Inifnium possui coloração ouro pálido, límpida e suave perlage. Possui aroma frutado, condimentado e leve tostado, e sabor leve e refrescante. É acompanhamento ideal para pratos finos, leves e sofisticados.

< voltar

Leia outras notícias relacionadas

  • Vinho
    Que tal uma cerveja com s...
  • Brasil-beer-guide
    Conheça o Brasil Beer Gu...
  • cervejometro
    Quais os destinos onde ma...
  • banner
    Cervejaria pede a sua opi...

BBC